Na terra dos mil lagos

Sanna Marin tem 34 anos e tem tempo para ter 34 anos. É a mais jovem primeira ministra do mundo, escolhida pelo partido social democrata. Tem uma filha e foi a primeira pessoa da família a frequentar a universidade. Não é estranho haverem mulheres a ocuparem cargos de responsabilidade na política e em outros sectores da sociedade, uma vez que a Finlândia está no farol da igualdade do género. Os finlandeses são membros da União Europeia de atitudes liberais, claramente Europeus. Para mais, os finlandeses são gente lida numa escala invejável, pertencem a um dos países onde se leem mais livros e jornais  no mundo. Os grandes escritores ajudam-nos a compreender o mundo e a utilizar a literatura como instrumento de avaliação da humanidade, como também nos ajudam a saber o que nos faz correr.

Pelos vistos, a originalidade a grandeza e o conhecimento de cada finlandês são integradas na sociedade como uma qualidade intrínseca da cidadania, qualidades estas ,que servem para armar um país  do desígnio histórico capaz de transcender o estatuto oficial das suas limitações. Infelizmente, não são todas as nações que entendem a cultura como sinónimo de emancipação nacional, e a igualdade de género como uma alavanca para o crescimento económico. Na Finlândia, nunca existiu o sonho dos modelos autoritários, os finlandeses, nunca tiveram de passar pelo fracasso intelectual da experiência soviética, da ditadura do proletariado, nunca sucumbiram perante o império Russo apesar de terem tido uma passagem por este domínio do qual se tornam independentes em 1917.

Talvez, por tudo isto, quando  Sanna chegou á  política, não teve de pensar em termos de género ou de idade só teve que pensar nas coisas que a fizeram ganhar tão cedo na sua vida uma batalha tão grande, teve que pensar na confiança dos eleitores e nas coisas que a levaram até ali. Não é preciso saber muito da política finlandesa e oxalá Sanna retribua , para perceber que o exercício do seu poder, será dirigido a uma sociedade qualificada, que entende a multiplicidade das referencias sejam elas politicas, culturais ou cosmopolitas. A uma sociedade, em que a ambição não é vista como um defeito e, mesmo quando se é jovem, os melhores não têm de sair do seu país quando a retribuição que existe para  uma vida normal não lhes basta.

É sempre na cara de uma mulher que melhor se assiste á passagem do tempo mas, uma mulher não renuncia ao seu ofício de mulher, uma mulher nunca se entorpece. Sanna já sabe disto.

 

Deixe o seu Comentário

Instagram has returned invalid data.